{Resenha} Toda Luz Que Não Podemos Ver - Anthony Doerr

Marie-Laure vive em Paris, perto do Museu de História Natural, onde seu pai é o chaveiro responsável por cuidar de milhares de fechaduras. ...

Marie-Laure vive em Paris, perto do Museu de História Natural, onde seu pai é o chaveiro responsável por cuidar de milhares de fechaduras. Quando a menina fica cega, aos seis anos, o pai constrói uma maquete em miniatura do bairro onde moram para que ela seja capaz de memorizar os caminhos. Na ocupação nazista em Paris, pai e filha fogem para a cidade de Saint-Malo e levam consigo o que talvez seja o mais valioso tesouro do museu. Em uma região de minas na Alemanha, o órfão Werner cresce com a irmã mais nova, encantado pelo rádio que certo dia encontram em uma pilha de lixo. Com a prática, acaba se tornando especialista no aparelho, talento que lhe vale uma vaga em uma escola nazista e, logo depois, uma missão especial: descobrir a fonte das transmissões de rádio responsáveis pela chegada dos Aliados na Normandia. Cada vez mais consciente dos custos humanos de seu trabalho, o rapaz é enviado então para Saint-Malo, onde seu caminho cruza o de Marie-Laure, enquanto ambos tentam sobreviver à Segunda Guerra Mundial.


     Esse livro foi a minha grande decepção do ano! Via todo mundo comentando super bem dele que fiquei curiosa e decidi ler. Demorei 8 meses para ler, de tão cansativo e chato que achei. Não sou muito fã de livros que ficam mudando muito a história a cada 3 páginas, como acontece em Toda Luz Que Não Podemos Ver. As histórias paralelas são interessantes e o modo como elas se juntam no final deu super certo, só a troca constante de uma para outra que não agradei. Deveriam ter dado mais tempo pra desenvolver cada história melhor.
     Os personagens não são muito cativantes, não me apeguei a nenhum. Essa é a parte em que todo mundo que gostou vai querer me apedrejar. Sinceramente, não gostei de ninguém. O único que eu senti uma pontadinha de afeto foi com o tio Etienne. Marie-Laure que é a "principal" não teve grandes aparições. Admiro a coragem dela durante toda a história, o modo como ela lidar com tudo, a maturidade que lhe foi dada muito cedo.
      O livro inteiro eu esperava para que alguma coisa acontecesse e nada acontecia. Passei a me interessar pela história a partir da página 240 mais ou menos, levanto em conta que o livro tem na faixa de 500 páginas demorou metade do livro pra eu começar a gostar. 
Uma coisa que não podemos negar que o autor tratou super bem é a atmosfera do livro. Sentimos o terror da guerra o tempo inteiro, a expectativa, o medo. Isso foi muito bem retratado, o que fez a obra ganhar alguns pontinhos.
     Como mencionei antes a parte em que as duas histórias se juntam o livro se torna outro. Mas isso não durou muito. Pretendo ler esse livro novamente, vê se consigo tirar outra conclusão sobre ele.
Talvez eu não estava em uma fase boa quando li, mas sem dúvidas passa longe de estar entre os melhores lidos. 

Gostaria de ouvir de quem gostou do livro, porque gostou, qual parte achou melhor, o que deixou o livro interessante... Então se você se encaixa nesse grupo comenta aqui em baixo por favor :) 



Título: Toda Luz Que Não Podemos Ver
Autor: Anthony Doerr

Editora: Intrínseca
Número de Páginas: 528
Data de Publicação: 2015 




Veja também

0 comentários